Perfil dos alunos da Escola de Verão

Desde a sua I Edição, realizada em 1995, a Escola de Verão em Química Farmacêutica Medicinal já recebeu mais de 2.000 participantes, vindo de diferentes localidades do Brasil. No início, a procura por inscrições era modesta, em média 100, com o passar dos anos, o evento foi consolidando-se no calendário das Ciências Farmacêuticas e a Comissão Organizadora precisou limitar o número de vagas. Atualmente 250 é o número máximo de inscrições recebidas pela EVQFM.

O período do ano em que é realizado o evento – as férias de verão - permite a vinda para Rio de Janeiro de estudantes de outras regiões do país. As “caravanas” universitárias rumo à Escola de Verão - facilitadas pela possibilidade de alojamento no próprio local (CCS/UFRJ) onde é realizada EVQFM - promovem um profícuo intercâmbio cultural e científico entre alunos e professores de diversas Instituições de Ensino Superior brasileiras.

Fazendo um breve balanço do perfil dos participantes do evento, podemos perceber que a sua grande maioria é proveniente da graduação e de instituições públicas, sendo que o número de alunos de instituições privadas têm apresentado crescimento vertical, nos últimos anos. Quanto à origem regional, percebe-se uma forte participação externa ao Estado do Rio de Janeiro, o que demonstra a abrangência nacional da Escola de Verão. Praticamente todos os Estados brasileiros já enviaram representantes ao evento.

Muitos dos que por aqui passaram apaixonaram-se pela Química Farmacêutica Medicinal e tornaram-se mestres, doutores, professores, pesquisadores especialistas na área. Entretanto, é difícil mensurar a influência que a Escola de Verão exerceu na trajetória profissional de cada seu ex-participante.
MINHA ESCOLA DE VERÃO


Você, que já participou da Escola de Verão, envie para nós o seu depoimento pessoal e colabore para construir a história do evento a partir da visão dos seus ex-alunos.